Direito Médico

Querem filmar o parto, e agora?

O nascimento de um filho é sempre um momento especial para as famílias. Muitas famílias desejam fazer o registro, seja com fotos ou filmagens. Contudo, essa situação requer alguns cuidados por parte do profissional da saúde.

Diante do desejo da gestante de ter seu parto filmado, o médico deve estar preparado para proceder da maneira adequada a garantir esse direito. Contudo, o cuidado do profissional não envolve apenas a gestante, mas também toda a sua equipe que deve estar resguardada.

É importante esclarecer que a filmagem do parto, diferentemente da fotografia, é o registro de todo o procedimento realizado durante o parto, com a captura da paciente, das técnicas médicas e dos profissionais envolvidos. Devido a isso, deve-se ter um registro documental mais detalhado.

Inicialmente, ao receber um pedido desse, muitos médicos ficam preocupados com o excesso de exposição de sua paciente e de sua equipe, bem como se é permitido ou não.

Primeiramente, cabe esclarecer que o Conselho Federal de Medicina- CFM já se manifestou demostrando ser possível a filmagem. O posicionamento do CFM é no sentido de não haver nenhum impedimento ético ou legal para essa prática. Por tais razões, a gestante pode autorizar que uma pessoa acompanhe o parto e o filme.

Nesse sentido, estando evidente o direito da gestante de filmar, cabe ao médico executar algumas medidas para proteger todos os envolvidos. Esses cuidados visam garantir uma maior segurança jurídica a essa decisão, resguardando a paciente e os profissionais envolvidos.

De logo, é extremamente importante verificar se esse é realmente o desejo da gestante. É fundamental o esclarecimento sobre a exposição que terá durante o parto, para garantir que haja a consciência do procedimento e poder confirma sua escolha de filmar.

O próximo passo é verificar o direito de imagem de todos os envolvidos. É evidente o interesse em capturar a imagem da gestante e do bebê, mas é inevitável que em algum momento acabe por registrar os profissionais envolvidos no parto. Por essa razão, os envolvidos devem estar cientes da situação e concorda com isso.

Ainda, o médico pode não aceitar ser filmado. Nesse caso, deve informa a gestante para possibilitar a escolha de outro profissional. Contudo, enquanto o outro médico não assumir, continua sendo responsável pelo acompanhamento da gestante, não podendo deixa-la desamparada.

Por fim, convém ressaltar que o atendimento dessa gestante não poderá ser realizada em salas coletivas de parto. As salas coletivas não possuem estrutura suficiente para garantir a privacidade de todas as gestantes, assim, deverá disponibilizar um local adequado para possibilitar a filmagem sem expor outras gestantes.

Portanto, ao se deparar com o pedido de filmagem do parto o médico deve ter o cuidado de registra tudo de forma detalhada, com os documentos adequados de modo a viabilizar uma segurança jurídica a todos.

You may also like